Sarna Crostosa em contexto Hospitalar: Abordagem pela Saúde Ocupacional

A escabiose é uma infeção cutânea parasitária causada pelo ácaro humano Sarcoptes scabei variedade hominis1. A fêmea adulta do ácaro deposita os seus ovos na epiderme, onde vive. O ácaro (microscópico) é quase sempre transmitido por contato direto e prolongado pele a pele com a pessoa infetada, podendo esta ser assintomática1. Pode surgir também por contacto com fômites contaminados (por exemplo roupas de cama ou toalhas)2. Pode ter um carácter endémico, ou surgir na forma de surtos e epidemias, sendo que as taxas de prevalência variam de 2,71 por 1000 em países desenvolvidos a 46% (estudo realizado em crianças na Malásia)3.

Avaliação da Capacidade de Trabalho versus Envelhecimento dos Funcionários, num Município Português de média dimensão

A população trabalhadora da Europa está a envelhecer e várias organizações definiram concetualmente a categoria dos trabalhadores com mais de 55 anos como os “Trabalhadores Mais Velhos”, num contexto onde, a curto/ médio prazo, a sua capacidade produtiva será fundamental para o funcionamento dos diversos países, dado o envelhecimento da população.

Fadiga na Sarcoidose e o Regresso ao Trabalho: um Caso Clínico

A sarcoidose é uma doença granulomatosa multissistémica de etiologia desconhecida. Pensa-se que atinja preferencialmente mulheres entre os 20-40 anos de idade1, embora haja estudos que sugerem que a incidência e prevalência é maior entre os 45-65 anos2, tratando-se de população economicamente ativa. A sarcoidose pode envolver praticamente qualquer órgão, sendo os pulmões (>90%) e os gânglios linfáticos intratorácicos (75% a 90%) os mais afetados3.

Autorização para Serviço Externo de Saúde no Trabalho

No site da DGS (Direção Geral de Saúde)- “secção PNS e Programas”- “Programas de Saúde”- “Saúde Ocupacional”, existe uma área dedicada à autorização para Serviços Externos de Saúde no Trabalho. A leitura deste texto remete para a Instrução 2/2010 da DGS, na qual encontramos diversos anexos relevantes, nomeadamente informações relativas ao requerimento, notas sumárias, mapa de recursos humanos a enviar e lista de mobiliário/ equipamento/ utensílios obrigatórios ou recomendados.

Atividades de Risco Elevado

A Direção Geral de Saúde (DGS) apresenta no seu site, na “secção PNS e Programas”- “Programas de Saúde”- “Saúde Ocupacional”, uma área onde, ainda que remeta para o artigo 79º da Lei 102/2009, de 10 de setembro, resume quais as atividade consideradas como de risco elevado, para as quais as empresas prestadoras de serviços externos devem pedir autorização para exercer. Para além disso, com mais de 30 trabalhadores nestas condições, o serviço interno torna-se obrigatório.

Métodos para a Avaliação de Riscos Laborais- Introdução Genérica

A Gestão do Risco envolve várias etapas, tendo por objetivo a análise, valoração e controlo dos riscos. A Análise de Risco inclui a identificação dos Perigos, bem como a estimativa dos Riscos. A Avaliação de Riscos permite a valoração do risco, ou seja, aferir se o risco é aceitável e, por fim, a Gestão do risco adiciona a dimensão do controlo sobre o mesmo (medidas a adotar para a eliminação ou minimização do mesmo).